Hepatite B

1. Apresentação
A vacina hepatite B (recombinante) é apresentada sob a forma líquida em frasco unidose ou multidose, isolada ou combinada com outros imunobiológicos.

2. Composição
A vacina contém o antígeno recombinante de superfície (HBsAg), que é purificado por vários métodos físico-químicos e adsorvido por hidróxido de alumínio, tendo o timerosal como conservante.

3. Indicação
A vacina previne a infecção pelo vírus da hepatite B.
A vacina é indicada:
• Para recém-nascidos, o mais precocemente possível, nas primeiras 24 horas, preferencialmente nas primeiras 12 horas, ainda na maternidade ou na primeira visita ao serviço de saúde, até 30 dias de vida.
• Para gestantes em qualquer faixa etária e idade gestacional.
• Para a população de 1 a 49 anos de idade.
• Para indivíduos integrantes dos grupos vulneráveis, independentemente da faixa etária ou da comprovação da condição de vulnerabilidade:
— população indígena;
— população de assentamentos e acampamentos;
— trabalhadores de saúde;
— população reclusa em presídios, hospitais psiquiátricos, instituições de reeducação de menores;
— usuários de drogas injetáveis, inaláveis e pipadas;
— agentes de segurança atuantes em presídios e delegacias penitenciárias;
— doadores de sangue;
— potenciais receptores de múltiplas transfusões de sangue ou politransfundidos;
— portadores de doenças sexualmente transmissíveis;
— caminhoneiros;
— comunicantes sexuais de pessoas portadoras do vírus da hepatite B;
— prostitutos e prostitutas;
— homens e mulheres que mantêm relações sexuais com pessoas do mesmo sexo (HSH e MSM);
— lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais (LGBTT);
— pessoas que convivem continuamente em domicílio com pessoas portadoras do vírus da hepatite B;
— vítimas de abuso sexual;
— coletadores de lixo hospitalar e domiciliar;
— pessoal vinculado às instituições de defesa, segurança e resgate (forças armadas, polícia militar, civil e rodoviária, corpo de bombeiros);
— vítimas de acidentes com material biológico positivo ou fortemente suspeito de contaminação;
— manicures, pedicuros e podólogos.
• Para situações em que há indicação, conforme exemplos listados na sequência, a vacina a hepatite B (recombinante) pode ser administrada na sala de vacinação ou no Centro de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), para os usuários:
— portadores de HIV/aids;
— portadores de asplenia anatômica ou funcional e doenças relacionadas;
— em convívio domiciliar contínuo com portadores do vírus da hepatite B;
— doadores e transplantados de órgãos sólidos ou de medula óssea;
— com imunodeficiência congênita ou adquirida;
— com doenças autoimunes;
— com doenças do sangue;
— com fibrose cística (mucoviscidose);
— portadores de hepatopatias crônicas e hepatite C;
— portadores de doenças renais crônicas e/ou que fazem diálise e/ou hemodiálise;
— imunodeprimidos;
— portadores de neoplasias.

4. Contraindicação
A vacina é contraindicada nas situações gerais referidas no tópico 2 da Parte IV do Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação do Ministério da Saúde, e na ocorrência de reação anafilática após o recebimento de qualquer dose da vacina ou de seus componentes.

Nota:
 A vacina hepatite B (recombinante) pode ser administrada simultaneamente com outras vacinas, independentemente de qualquer intervalo.

5. Esquema, dose e volume
O esquema de administração corresponde, de maneira geral, a três doses, com intervalo de 30 dias entre a primeira e a segunda doses e de seis meses entre a primeira e a terceira doses (0, 1 e 6). Recém-nascidos devem receber a primeira dose (vacina monovalente) nas primeiras 24 horas de vida, preferencialmente nas primeiras 12 horas, ainda na maternidade ou na primeira visita ao serviço de saúde, até 30 dias de vida.
A continuidade do esquema vacinal será com a vacina adsorvida difteria, tétano, pertussis, hepatite B (recombinante) e Haemophilus influenzae b (conjugada) – penta e, nesta situação, o esquema corresponderá a quatro doses, para as crianças que iniciam esquema vacinal a partir de 1 mês de idade até 4 anos, 11 meses e 29 dias.
Para usuários com 5 anos e mais sem comprovação vacinal, administre três doses da vacina hepatite B, conforme intervalos estabelecidos. Em caso de esquema vacinal incompleto, não reinicie o esquema, apenas o complete de acordo com a situação encontrada.
O volume da vacina hepatite B (recombinante) monovalente a ser administrado é de 0,5 mL até os 19 anos de idade e 1 mL a partir dos 20 anos.
Situações individuais específicas podem exigir a adoção de esquema e dosagem diferenciados. Em grupos de risco (renais crônicos, politransfundidos, hemofílicos, entre outros) ocorre uma menor produção de anticorpos, condição que os faz necessitar do dobro do volume da dose da vacina hepatite B (recombinante) monovalente, ou seja: 1,0 mL para crianças e adolescentes até 19 anos e 2,0 mL para adultos a partir dos 20 anos.
A vacina pode ser administrada simultaneamente com as demais vacinas dos calendários de
vacinação do Ministério da Saúde.

Notas:
 Em recém-nascidos de mães portadoras da hepatite B, administre a vacina e a imunoglobulina humana anti-hepatite B preferencialmente nas primeiras 12 horas, podendo a imunoglobulina ser administrada no máximo até 7 dias de vida.
6. Via de administração
A vacina contra hepatite B deve ser administrada por via intramuscular. Em usuário portador de discrasia sanguínea (por exemplo: hemofílico), a vacina pode ser administrada por via subcutânea.

7. Conservação
A vacina deve ser conservada entre +2ºC e +8ºC (sendo ideal +5ºC), não podendo ser congelada. O congelamento provoca a perda de potência e/ou forma agregados e/ou aumenta o risco de eventos adversos.