Meningocócica C (conjugada)

A doença meningocócica é considerada um problema de saúde pública mundial. Dados do Ministério da Saúde indicam que no Brasil, 21.321 pessoas foram infectadas pela bactériaNeisseria meningitidis em 2012.

A doença meningocócica é uma doença altamente contagiosa, com consequências potencialmente incapacitantes, como surdez, epilepsia e outras desordens neurológicas; em casos graves, pode até ser fatal. O maior risco de contrair a doença é em crianças e bebês nos primeiros quatro anos de suas vidas, com um segundo pico em adolescentes. Certos grupos, como os viajantes para áreas com níveis endêmicos de doença meningocócica ou exposição a situações de superlotação, podem estar em maior risco de doença meningocócica.

A Neisseria meningitidis é um diplococo Gram negativo que causa doença invasiva (como meningite e sepse) com risco de morte. Globalmente, 5 sorogrupos, A, B, C, Y e W-135 causam quase todas as infecções meningocócicas invasivas.

A presença de anticorpos bactericidas séricos protege contra a doença meningocócica invasiva. A vacinação com a vacina meningocócica C (conjugada) leva a produção de anticorpos bactericidas contra os polissacarídeos capsulares do sorogrupo C.

1. Apresentação
A vacina meningocócica C (conjugada) é apresentada sob a forma de um pó liofilizado e um diluente para solução injetável.

2. Composição
É composta por oligossacarídeo do meningococo do sorogrupo C. O oligossacarídeo C é conjugado com a proteína CRM197 de Corynebacterium diphteriae. A vacina possui hidróxido de alumínio. A vacina possui excipientes tais como: manitol, fosfato de sódio monobásico monoidratado, fosfato de sódio dibásico heptaidratado, cloreto de sódio e água para injeção.

3. Indicação
A vacina meningocócica C conjugada é indicada para imunização ativa de crianças a partir de 2 meses de idade, adolescentes e adultos com risco de exposição a Neisseria meningitidis do grupo C, para prevenir doença meningocócica invasiva. O uso da vacina adsorvida meningocócica C (conjugada – CRM197) deve ser determinado com base nas recomendações oficiais.

4. Contraindicação
Hipersensibilidade aos componentes da vacina, incluindo o toxoide diftérico (CRM197). Também está contraindicada nos indivíduos que demonstraram uma hipersensibilidade a administrações anteriores da vacina. A administração da vacina meningocócica ACWY (conjugada) deve ser adiada em indivíduos que estejam com doença febril aguda.

5. Esquema, dose e volume

Imunização primária:

Crianças de 02 meses de idade até 12 meses de idade: 2 doses de 0,5 mL cada, sendo que deve haver um intervalo de pelo, menos 02 meses entre as doses. A vacina adsorvida meningocócica C (conjugada – CRM197) não deve ser administrada em crianças com idade inferior a 02 meses.

Crianças com mais de 12 meses, adolescentes e adultos: Uma dose única de 0,5 mL.

Dose de reforço:

Recomenda-se que a dose de reforço seja administrada depois de completada a primeira série de imunização em lactentes .

Notas:
 A necessidade de dose de reforço em crianças vacinadas após os 12 meses ou adolescentes e adultos (que tenham recebido uma única dose) não foi determinada, não sendo indicada no presente.
 Gravidez e amamentação: Em edição.

6. Via de administração
A vacina (0,5 mL) deve ser aplicada por via intramuscular profunda, preferencialmente na parte anterolateral da coxa de crianças menores de 24 meses de idade e no músculo deltóide de crianças mais velhas, adolescentes e adultos.

7. Conservação
A vacina deve ser conservada entre +2ºC e +8ºC (sendo ideal +5ºC), não podendo ser congelada. O congelamento provoca a perda de potência e/ou forma agregados e/ou aumenta o risco de eventos adversos.