Rotavirus

Atualmente uma das formas mais eficazes de prevenção contra gastrenterite por rotavírus é a vacina.

1. Apresentação
A vacina é apresentada na forma líquida, acondicionada em um aplicador, semelhante a uma seringa.

2. Composição
Existem duas vacinas orais altamente eficazes contra o rotavírus: uma vacina monovalente (disponível tanto na rede pública quanto na privada) e outra pentavalente (disponível somente na rede privada). A vacina ofertada na rede pública é monovalente, ou seja, é constituída por um único sorotipo (G1P8) do rotavírus humano atenuado da cepa (RIX4414). Já a vacina ofertada na São Carlos Vacinas é uma vacina pentavalente de vírus vivos atenuados composta por quatro vírus humanos (G1, G2, G3 e G4) e um bovino (P1). Para esta vacina pentavalente é relatada uma eficácia de 74 a 98% para doença grave causada pelo rotavírus.

3. Indicação
É indicada para a prevenção de gastroenterites causadas por rotavírus em crianças menores de 1 ano de idade.

4. Contraindicação
A vacina é contraindicada nas situações gerais referidas no tópico 2 da Parte IV do Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação do Ministério da Saúde. No entanto, sua principal contraindicação é a administração fora da faixa etária preconizada.
Mesmo que a criança esteja na faixa etária preconizada, a vacina é contraindicada:
• na presença de imunodepressão severa;
• na vigência do uso de corticosteroides em doses imunossupressoras ou quimioterápicos;
• para crianças que tenham histórico de invaginação intestinal ou com malformação congênita não corrigida do trato gastrointestinal.

5. Esquema, dose e volume
Vacina rotavírus monovalente: O esquema corresponde a duas doses, administradas aos 2 e 4 meses de idade. O volume a ser administrado é 1,5 mL.

Vacina rotavírus pentavalente: Disponível apenas na rede privada. O esquema corresponde a 3 doses, administradas aos 2, 4 e 6 meses de idade.

Para ambas as vacinas, a primeira dose pode ser administrada a partir de 1 mês e 15 dias até 3 meses e 15 dias, e a última dose até 7 meses e 29 dias de vida. A segunda dose pode ser administrada a partir de 3 meses e 15 dias. Deve-se manter intervalo mínimo de 30 dias entre as doses.

Notas:
 Se a criança regurgitar, cuspir ou vomitar após a vacinação ou se a vacina for administrada fora das faixas etárias preconizadas, não repita a dose. Nestes casos, considere a dose válida.
 Recomenda-se completar o esquema da vacina do mesmo laboratório produtor.

6. Via de administração
A vacina é administrada exclusivamente por via oral. A vacina rotavírus humano não pode ser injetada.

7. Conservação
A vacina deve ser conservada entre +2ºC e +8ºC (sendo ideal +5ºC), não podendo ser congelada. O congelamento provoca a perda de potência e/ou forma agregados e/ou aumenta o risco de eventos adversos.