Sarampo / rubéola / caxumba (Tríplice Viral)

1. Apresentação
A vacina sarampo, caxumba e rubéola é apresentada sob a forma liofilizada, em frasco monodose ou multidose, acompanhada do respectivo diluente.

2. Composição
É composta por vírus vivos (atenuados) das cepas Wistar RA 27/3 do vírus da rubeola, Schwarz do sarampo e RIT 4385, derivada de Jeryl Lynn, da caxumba. Tem como excipientes albumina humana, lactose, sorbitol, manitol, sulfato de neomicina e aminoácidos.

3. Indicação
A vacina protege contra o sarampo, a caxumba e a rubéola. É indicada para vacinacao de usuarios a partir de 12 meses de idade.

4. Contraindicação
A vacina é contraindicada nas situações gerais referidas no tópico 2 da Parte IV do Manual de Normas e Procedimentos para Vacinação do Ministério da Saúde e também nas situações de:
• Registro de anafilaxia após recebimento de dose anterior.
• Usuários com imunodeficiência clínica ou laboratorial grave.
• Gestação

Notas:
 A gestante não deve ser vacinada, para evitar a associação entre a vacinação e possíveis complicações da gestação, incluindo aborto espontâneo ou malformação congênita no recém-nascido por outras causas não associadas à vacina.

 Caso a gestante seja inadvertidamente vacinada, não está indicada a interrupção da gravidez. A gestante deve ser acompanhada durante o pré-natal e, após o parto, acompanha-se a criança conforme as normas técnicas do Programa Nacional de Imunizações.

5. Esquema, dose e volume
O esquema básico da vacina e de duas doses nas seguintes situações (Em edição):

O volume da vacina tríplice viral a ser administrado e de 0,5 mL.

Notas:
 Em situação de bloqueio vacinal em crianças menores de 12 meses, administrar uma dose de tríplice viral entre 6 meses e 11 meses de idade e manter o esquema vacinal.
 Mulheres em idade fértil devem evitar a gravidez até um mês após a vacinação com tríplice viral.
 Não administrar a vacina tríplice viral simultaneamente com a vacina febre amarela (atenuada), devendo-se estabelecer um intervalo mínimo de 30 dias, salvo em situações especiais que impossibilitem manter o intervalo indicado.

 

6. Via de administração
A vacina é administrada por via subcutânea.

Notas:
 A administração é feita, de preferência, na região do deltoide, na face externa superior do braço, ou na face ântero-lateral externa do antebraço.

7. Conservação
A vacina deve ser conservada entre +2ºC e +8ºC (sendo ideal +5ºC), não podendo ser congelada. O congelamento provoca a perda de potência e/ou forma agregados e/ou aumenta o risco de eventos adversos.